​CHAPADA OFF ROAD - ECOTURISMO E AVENTURA

CNPJ: 22.024.353/0001-64 | CADASTUR: 13.070895.10.0001-5

Rua Quinco Caldas, nº164, Centro | Chapada dos Guimarães | MT | 78195-000
65 3301-2441  |  65 9.8417-2441 OI

65 9.9313-4422 CLARO / whats app

atendimento@chapadaoffroad.com

Todos os Direitos Reservados

Trekking Morro São Jerônimo

Parque Nacional de Chapada dos Guimarães

Atividade: Caminhada
Distância: 16 km
Grupo Mínimo: 1 pessoa.
Grupo Máximo: 6 pessoas.
Tempo de duração: 6 a 8 horas.
Nível de dificuldade: moderado.
Restrições da atividade: pessoas com pouca mobilidade, em pós-operatórios, pessoas que estejam sob o efeito de álcool e/ou outras drogas.
Perfil do Praticante: requer bom preparo físico.

​Descrição do Roteiro​
 

O Morro de São Jerônimo é o ponto mais alto do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, com uma das vistas mais bonitas e de maior amplitude da região.

Depois de deixar o voucher na sede administrativa do Parque, nos dirigimos ainda no veículo por uma estrada não pavimentada por cerca de 3 km, chegando ao estacionamento de onde se inicia a caminhada de aproximadamente 16 km (ida e volta).

No início caminhamos por uma antiga estrada de serviço que não é mais utilizada para veículos e segue com trilhas leves e moderadas. Contemplamos o Cerrado e área de transição para as matas de galeria que se formam às margens do rio.

O primeiro ponto de visitação é a Casa de Pedra, uma pequena caverna de arenito escavada pelo Rio Independência, um afluente do Rio Coxipó que forma as principais cachoeiras do parque. Podemos observar muito da geologia de sua formação. Conta a história que este lugar serviu de abrigo aos homens da Coluna Prestes e também como refúgio para escravos fugitivos. Hoje a gruta é utilizada como abrigo por morcegos e pequenos animais.

Seguimos pela trilha e por todo o caminho somos circundados por sugestivas formações rochosas que lembram navios, totens e animais. Após 5 quilômetros de caminhada e uma pequena subida, atravessamos por um corredor na rocha que descortinará a vista para o Morro de São Jerônimo, o “testemunho”, último sobrevivente com tal altura. Depois de atravessar uma pequena floresta, estaremos no pé do Morro e iniciaremos a subida. A partir daí o desafio aumenta.

Para começar uma subida íngreme, seguida por dois degraus que exigem esforço para alçar o corpo, um com cerca de 2,5 metros, e por último um mais fácil, com 1,5 metros de altura. Em uma espécie de “escalaminhada” auxiliada e orientada pelo guia de turismo, na qual o participante terá que utilizar algumas vezes as mãos para se equilibrar e erguer.

Superando estes desafios a recompensa é certa. Em cima do Morro de São Jerônimo, a vista é de 360º, contemplando a Chapada dos Guimarães, a imensa baixada cuiabana e as mais belas morrarias.

No topo do morro é possível encontrar, se prestar bem atenção, vários Icnofósseis gravados na Geotita (ou compressão de ferro). São pequenos desenhos de conchas em baixo relevo, um vestígio milenar de quando a Chapada era mar.

Podemos avistar a cidade de Cuiabá ao longe, sentindo o vento que corre a cerca de 800m acima do nível do mar. Na parte de cima temos um descampado, nenhuma árvore alta, então podemos dar toda a volta pelo cume do morro.

Costuma-se encontrar diversas pegadas neste trajeto, assim como a flora bem preservada sendo que é um dos trajetos menos visitados. Retornamos pelo mesmo caminho, com uma parada na Casa de Pedra para se refrescar um pouco no riacho.​

​Dicas de Viagem:​
 

O Morro de São Jerônimo é acessado por trilhas (16 km ida e volta), a maior parte em área de cerrado (sem sombra). Portanto, são úteis as seguintes recomendações:

* Usar meias e calçados adequados para caminhadas (resistentes e confortáveis);
* Usar boné ou chapéu e protetor solar;
* É aconselhável levar no mínimo 1,5L de água, repelente, lanche, embalagem para acondicionar seu lixo, roupa de banho, capa de chuva (principalmente de outubro a março), binóculos, máquina fotográfica (baterias, filmes ou cartões de memória) e uma mochila para acondicionar os objetos acima.

Respire Fundo e... Viva a Natureza